“Delivery de exercícios” é uma das modalidades de entrega de material de estudo

“Delivery de exercícios” é uma das modalidades de entrega de material de estudo

Com o Regime Especial de Aulas Não Presenciais autorizado pelo Conselho Estadual de Educação (CEE), a Coordenação Regional da Educação de Luziânia – GO precisou estabelecer novas estratégias para atender as realidades das 37 unidades escolares, inclusive aquelas que ficam na zona rural.

Já é possível afirmar que com o avanço da tecnologia e especialmente da Internet e com a dedicação das comunidades escolares, alcançando quase a totalidade dos alunos.Em regiões onde o serviço de Internet é mais precário, há um esforço da gestão escolar para levar as atividades escolares até os alunos.

No Colégio Estadual Ilídio de Sousa Lemos em Maniratuba e no Colégio Estadual Valderi dos Santos em Samambaia na zona rural de Luziânia, a comunidade, igreja, e outros tem se mobilizado para que nesse período de isolamento social, todos os estudantes tenham acesso às aulas não presenciais e às atividades impressas. Já na extensão do Colégio Estadual Cônego Ramiro localizada na zona rural no Município de Cristalina – GO, os produtores rurais prepararam uma sala com computador em suas residências para os seus filhos conseguirem estudar, conforme o relato do aluno Ruan Estrela.

Delivery de exercícios

Você já ouviu falar em “delivery” de exercícios? Isso mesmo! Pelo método de “delivery”, a gestão do Colégio Estadual da Polícia Militar Ely da Silva Braz tem conseguido atender aos alunos que não têm acesso à internet. Constantemente, a coordenadora pedagógica Tatiane da Silva de Farias vai ao colégio, imprime as atividades e leva na residência dos alunos, principalmente os que moram na zona rural.

Frequência

Uma dúvida: como fica a questão da frequência? Para facilitar e garantir o monitoramento da frequência dos alunos, o Centro de Ensino em Período Integral Osvaldo da Costa Meireles, localizado no Bairro São Caetano, em Luziânia, adotou um modelo de cabeçalho em que cada aluno  anota a data, o nome do professor, a disciplina e o conteúdo do dia em seus cadernos como registro diário de presença.

Já no Colégio Estadual Josué Meireles foi designada uma professora como a responsável por organizar a frequência diária dos alunos mediante seus acessos nos grupos de WhatsApp em horários determinados, conseguindo atingir uma boa porcentagem de presença.

Inclusão

Um grande cuidado tem sido adotado com os alunos da inclusão. No Colégio Estadual Olga Aguiar Mohn, em Cristalina-GO, o aluno Paulo Ricardo Passos tem acompanhado as aulas on-line com o auxílio de uma intérprete, a professora Clarisse Vilela.

No Colégio Estadual Antônio Valdir Roriz, localizado no centro de Luziânia, o aluno André Ferreira da Silva tem acompanhado assiduamente as aulas pelo Google Classroom com o apoio da professora Enilza Sutero, além de receber alguns jogos e leituras como atividade extra.

A verdade é que não há uma receita pronta. Há um enorme esforço do Estado de Goiás, com o incentivo da secretária Estadual da Educação, professora Fátima Gavioli, para que a aprendizagem chegue ao aluno, não importa onde ele esteja. A união da equipe da unidade escolar com a comunidade, sob a orientação da Coordenação Regional da Educação de Luziânia e os esforços de todos, tem demonstrado superações e vontade de aprender!

Marcley Rodrigues de Matos

Marcley Rodrigues de Matos

Deixe uma resposta